quinta-feira, 28 de abril de 2016

Pimpilro


28-04-2016
Nome científico: Glebionis segetum
Sinonímias: Chrysanthemum segetum
Nomes comuns: Pimpilro, pampilho-das-searas, Erva-mijona, Malmequer-bravo, Pampilho, Pingilhos
Família: Asteraceae (ou Compositae)
Origem: leste da região do Mediterrâneo ou sudoeste da Ásia

02-12-2015
16-12-2015
O pimpilro é uma planta herbácea com um ciclo anual. É glabra e possui caules simples ou ramosos. As suas folhas são ligeiramente carnudas e parecem cobertas por uma camada de cera que lhes dá uma coloração verde azulada. São alternas, oblongas a ovado-oblongas, as inferiores trifendidas ou penatilobadas, as superiores quase inteiras e envolvendo parcialmente o caule.
Apresenta capítulos florais solitários (ou em pequeno número) e as suas flores são amarelas. A sua floração ocorre de março a julho.

Esta planta foi introduzida em Portugal, onde se encontra naturalizada, assim como em grande parte da Europa e na Região Mediterrânica. Pode ser encontrada nas bermas de caminhos e em terrenos abandonados ou incultos.
10-03-2016
08-03-2016
27-02-2016

Utilizações: As suas folhas jovens são comestíveis, podendo ser usadas em saladas. Um relatório sugere que a planta contém cumarina, principalmente quando está seca (a cumarina pode impedir que o sangue de coagule quando há um corte).
28-04-2016
18-03-2016
27-02-2016
As suas flores são utilizadas para fazer os “cordões de maio”, ou seja, os colares de flores utilizados no dia 1 de maio.
28-04-2016
São, ainda, muito atraentes para abelhas e outros insetos polinizadores.

Curiosidades: Esta espécie era até há pouco tempo (1999) conhecida por Chrysanthemum segetum; O nome do género atual, Glebionis, deriva do latim “gleba” que significa “solo” e “ionis” que quer dizer "característica de" (de aplicação incerta); O nome da espécie segetum significa "de campos de milho", isto porque ocasionalmente era uma “erva daninha” de culturas como o milho. Consta que no século XIII Alexander II da Escócia implementou uma lei onde caso um agricultor deixasse uma única planta produzir sementes entre as suas culturas seria multado.

sexta-feira, 15 de abril de 2016

Maracujá banana


10-06-2015
Nome científico: Passiflora mollissima
Sinonímias: Passiflora tripartita var. mollissima, Passiflora tomentosa var. mollissima, Tacsonia mollissima, Murucuia mollissima
Nomes comuns: Maracujá-banana, Curuba
Família: Passifloraceae
Origem: América do Sul
24-09-2014
10-06-2015
10-06-2015












A planta maracujá-banana é uma trepadeira com um ciclo de vida perene e pode atingir cerca de 7 metros de comprimento. As suas folhas verdes e brilhantes são alternas e pecioladas com lóbulos oblongo-lanceolados. As suas flores são grandes, rosadas, solitárias e tubulares pendentes. O seu fruto é uma baga oblonga de cor verde enquanto se desenvolve e amarela quando madura, esta contém uma polpa alaranjada e muitas sementes pretas.

02-12-2015
17-12-2015
14-09-2015
Utilizações: A polpa dos frutos maduros é comestível (tal como o maracujá, Passiflora edulis) e caracteriza-se por ter um sabor doce e ácido. Os maracujás-banana podem ser consumidos ao natural ou podem ser utilizados em doces, sumos, sobremesas, gelados ou como aromatizante para bebidas (cocktails, vinhos). Por exemplo, na Bolívia, o seu sumo misturado com aguardente e açúcar é servido como um cocktail antes do jantar. Na Colômbia retiram-se as sementes e serve-se a polpa com leite e açúcar.
 A planta é usada como ornamental devido às suas inúmeras e bonitas flores. Estas atraem muitos insetos polinizadores, como por exemplo as abelhas.
20-03-2016
13-04-2016

Cultivo: A planta é uma trepadeira vigorosa e resistente, sendo considerada umas das poucas espécie de maracujá que suporta relativamente bem o frio (até -5º). Deve ser plantada ao sol ou meia-sombra. Aprecia solos férteis e que tenham boa drenagem. Gosta de regas regulares no verão. Deve ser podada para que se mantenha saudável e para estimular a floração. Multiplica-se a partir de sementes.
 
13-04-2016
Curiosidades: Em alguns artigos a Passiflora tarminiana aparece como sinónimo da P. mollissima, isto porque a primeira antigamente era considerada uma subespécie da segunda. Hoje, apesar das semelhanças, são reconhecidas características que distinguem as duas espécies; O nome comum deve-se ao facto do fruto se assemelhar a uma pequena banana direita e com pontas curvas; Esta planta pode durar 20 anos quando encontra as condições adequadas; Os frutos podem amadurecer à temperatura ambiente se a casca ainda se encontrar um pouco verde; Devemos ter em atenção o carácter invasor desta espécie em certos climas (como na Nova Zelândia, Havai e África do Sul).

sexta-feira, 1 de abril de 2016

Foi dia de… colher grelos!

01-04-2016

01-04-2016

Os grelos, também chamados de espigos ou espigas, são as inflorescências (ainda numa fase inicial) de vários tipos de couve, nabos ou nabiças.

No nosso caso, são as couves-nabiça (Brassica napus) que estão a espigar e a oferecer-nos uma quantidade bastante generosa de grelos.

01-04-2016
Os grelos são comestíveis enquanto estão tenros e sem flor. Quando a flor aparece ficam duros e já não é aconselhável o seu consumo.


Assim, resta-nos aproveitar esta fase! 

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...