segunda-feira, 28 de Julho de 2014

Fenómeno de Segunda: O gato e as estacas de marmeleiro


E está explicado porque não pegam as estacas de marmeleiro...

11-04-2012
11-04-2012
11-04-2012

sexta-feira, 25 de Julho de 2014

Por aí: À descoberta das águas invisíveis de Lisboa


19-07-2014
19-07-2014
19-07-2014
Participamos na atividade À descoberta das águas invisíveis de Lisboa, através do programa Ciência Viva no Verão dinamizado pela Ciência Viva.

“Um passeio pela freguesia de Lumiar à descoberta das suas águas subterrâneas, visitando poços escondidos entre prédios, nascentes que brotam em jardins, poços em velhas quintas e chafarizes com história.”

Esta atividade faz parte da Geologia no Verão e tem como objetivo alertar para a existência das águas subterrâneas e mostrar que existem muitos pontos de água (poços e minas) “escondidos”. Para além disso pretende consciencializar para a sua utilização e preservação, mencionando alguns aspetos que levam à sua redução e contaminação (como por exemplo a impermeabilização dos solos, a poluição urbana e doméstica e a poluição agrícola com os uso de fertilizantes e pesticidas).
19-07-2014
19-07-2014
19-07-2014

Não importa quem somos, o que fazemos, onde vivemos... a verdade é que não há vida sem água.
19-07-2014
19-07-2014
19-07-2014
Apesar de este recurso existir em abundante quantidade, a sua distribuição é irregular e apenas uma pequeníssima percentagem dessa água se encontra disponível para o homem e restantes organismos que vivem nos ambientes terrestres. Se excluirmos as reservas de gelo das calotas polares e glaciares, a água doce utilizável representa apenas 0.6% da água do nosso planeta, que se reparte desigualmente pelas diversas regiões continentais. Destes 0,6% de água doce utilizável, 97% correspondem a águas subterrâneas (aquíferos), representando os rios e os lagos uma percentagem muito pequena.
19-07-2014
19-07-2014
19-07-2014

quinta-feira, 17 de Julho de 2014

Gladíolo

13-06-2014

Nome científico: Gladiolus spp.
Nome comum: Gladíolos
Família: Iridaceae.
Origem: Ásia, África, Europa Mediterrânea
             
30-03-2013
O gladíolo é uma planta herbácea bolbosa (apesar de não crescer a partir de verdadeiros bolbos, pois ao seu órgão subterrâneo de reservas dá-se o nome de cormo). Esta planta tem um ciclo de vida perene, embora perca a parte aérea após a floração. Apresenta um porte ereto e uma altura entre os 50-180cm. 
As suas folhas são lanceoladas, eretas, longas, dispostas em leque a partir da base e com numerosas nervuras paralelas. As suas flores estão reunidas em espiga, sustentadas por uma haste comprida e rígida, abertas a partir da base, implantadas umas de cada lado da espiga. São em forma de funil e apresentam várias cores desde o branco, vermelho, rosa, amarelo, laranja, podendo ser bicolores ou apresentar manchas e pintas nas pétalas inferiores.
Os gladíolos utilizam-se em canteiros ou vasos e são adequados para maciços. São muito apreciados como flor de corte, visto que a durabilidade média das suas flores pode ser de quinze dias.
16-06-2014
09-04-2014
13-06-2014

Cultivo: Esta planta deve ser plantada no final do inverno ou início da primavera, preferencialmente em pleno sol, apesar de tolerar a meia-sombra. Adapta-se a vários tipos de solo, no entanto prefere solos leves, bem drenados e ricos em húmus. Os cormos devem ser plantados a cerca de 8-10cm de profundidade e a uma distância entre si de 8-15cm. Quando a planta começa a nascer devemos-lhe amontoar o pé e podemos-lhe colocar tutores para posteriormente manter as hastes direitas.
19-06-2014
22-06-2014
05-08-2013
Os gladíolos apreciam regas moderadas e devemos manter o solo sempre húmido (mas não alagado) quando a haste da flor aparece para que consiga florescer. São sensíveis às geadas. Após a floração podemos cortar as espigas com as flores secas e colocar algum mulching para proteger os cormos durante o inverno ou podemos retirá-los do solo e guardá-los em sacos de papel num local seco, fresco e escuro. A multiplicação dá-se pela divisão dos cormos que aparecem junto do principal.

22-06-2014
13-06-2014
Curiosidades: O género Gladiolus inclui cerca de 180 espécies e mais de 10 000 variedades; Existem gladíolos com uma vasta gama de cores, pois foram extensivamente hibridados a partir de muitas variedades; O nome Gladiolus em latim referia-se ao diminutivo de gládio, ou seja, uma espada; Um nome mais antigo para os gladíolos foi xiphium que tinha origem na palavra grega xiphos que também significava espada.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...