quarta-feira, 20 de julho de 2016

Cártamo


12-08-2015
Nome científico: Carthamus tinctorius
Sinonímias: Carduus tinctorius, Carthamus glaber, Centaurea carthamus
Nomes comuns: Cártamo, Açafrão-bastardo, Falso-açafrão, Açafroa, Açafrol, Saflor
Família: Asteraceae ou Compositae
Origem: provavelmente Mediterrâneo Oriental, Europa Oriental e Ásia Central

21-07-2015
O cártamo é uma planta herbácea de ciclo de vida anual. Possui um caule ereto e ramificado, normalmente atinge 30 cm, mas pode alcançar 1 metro de altura. As suas folhas verde-escuras são serrilhadas e espinhosas. Apresenta de um a cinco capítulos florais. Estes são compactos, volumosos e compostos por numerosas brácteas duras, semelhantes às folhas, para proteger as flores. As suas flores, hermafroditas, são brilhantes e amarelas, alaranjadas ou vermelhas. A sua floração ocorre durante os meses de julho e agosto. O seu fruto é uma cipsela branca, lisa e de sabor amargo.

12-08-2015
É uma planta subespontânea em algumas regiões de Portugal Continental (Alentejo e Algarve), podendo ser encontrada em terrenos baldios e em searas.

Propriedades e utilizações: As suas flores, sementes e óleo têm várias aplicações medicinais, contudo devemos ter em atenção o uso desta planta é contraindicado na gravidez e por lactantes, assim como interfere com alguns medicamentos.
14-07-2016
Investigações recentes indicam que pode ajudar a reduzir a doença coronária, a diminuir o colesterol e ainda a estimular o sistema imunitário.
Tanto as suas flores, como o resultado do esmagamento das sementes, têm um forte poder purgativo e digestivo. As flores, graças aos corantes e aos flavonoides, promovem também a cicatrização das feridas e combatem as dores menstruais.
Na culinária, as flores de cártamo são utilizadas como um substituto mais barato para o açafrão. São colhidas quando começam a murchar e podem ser usadas frescas ou secas (desde que guardadas bem fechadas) para dar cor amarela a um arroz, um doce ou bolo, por exemplo. Nalguns pontos da Polónia, as pétalas são misturadas na massa do pão.
14-07-2016
As suas folhas (e rebentos jovens) são ricas em vitamina C e podem ser consumidas por exemplo em sopas.
Das flores do cártamo extraem-se dois corantes: um amarelo, solúvel na água, utilizado em culinária e um vermelho, insolúvel na água, utilizado tradicionalmente em tinturaria, pintura e cosmética.
15-07-2016
Das suas sementes obtém-se um óleo alimentar de elevado valor dietético muito usado atualmente como suplemento alimentar. O óleo de cártamo também é usado, desde a antiguidade, como secante em tintas e vernizes para pintura e em cosmética, devido às propriedades emolientes e regeneradoras do tecido cutâneo. Este óleo vegetal é ainda usado externamente no tratamento de micoses.
Há algumas indicações que toda a planta é muito rica em fosfato, podendo ser usada como enriquecimento do solo. A sua profunda raiz principal pode ajudar a mobilizar o solo funcionando como um "arado biológico”.
As folhas ou as sementes colocadas no leite servem para coalhar.
As suas sementes apesar de amargas são muito apreciadas pelos pássaros (periquitos e papagaios, por exemplo), enriquece a alimentação destes animais, contribuindo para uma plumagem de melhor qualidade.
As suas flores atraem insetos polinizadores.

Cultivo: O cártamo é uma planta rústica, adapta-se às mais diferentes condições ecológicas e desenvolve-se bem nos mais diferentes tipos de solos. É resistente à seca, às altas temperaturas e aos ventos fortes. Multiplica-se através de sementes que podem ser semeadas no inicio da primavera.

15-07-2016
14-07-2016
Curiosidades: O nome do género Carthamus deriva do árabe e significa tingir/tinta; O nome da espécie tinctorius relaciona-se com a característica tintureira desta planta; As origens desta planta não são claras; Foi trazida da Índia (provavelmente de Goa) para Portugal no século XVI por missionários ou marinheiros, juntamente com outras especiarias; Na análise química a produtos têxteis do antigo Egipto foram identificados corantes feitos de cártamo; Algumas variedades, cultivadas apenas para aproveitamento do óleo das sementes, têm as pétalas amarelas, em vez de vermelhas; Esta planta tintureira foi outrora das mais importantes. Hoje a cartamina, substância natural extraída do cártamo, foi substituída por anilinas sintéticas; Era a cartamina também o ingrediente corante do 'rouge' das senhoras; As suas flores são usadas, por comerciantes menos honestos, para adulterar o açafrão genuíno. A cor que dão à comida pouco tem a ver com a dada pelo açafrão e não possuem a verdadeira essência/sabor do açafrão, daí os seus nomes comuns açafrão-bastardo e falso-açafrão; Em inglês designa-se por safflower, safflor ou bastard saffron; O nome comum saflor é uma deturpação da palavra inglesa safflower; O Carthamus lanatus por ter algumas semelhanças é designado popularmente de cártamo-lanoso e este é uma planta autóctone nalgumas regiões de Portugal Continental.

quarta-feira, 13 de julho de 2016

Ervilhaca vermelha

11-04-2013

Nome científico: Vicia benghalensis
Sinonímias: Vicia atropurpurea, Cracca atropurpurea
Nomes comuns: Ervilhaca-vermelha, Ervilhaca-purpúrea, Ervilhaca-de-Bengala
Família: Fabaceae ou Leguminosae
Origem: Sul da Europa e Norte de África

02-05-2015
13-04-2016
A ervilhaca-vermelha é uma planta herbácea vigorosa com um ciclo de vida anual. Possui um caule peludo, ramificado e trepador. Pode alcançar mais de 60 cm de altura se encontrar um tutor compatível. As suas folhas são verdes, pinuladas e compostas por 10 pares de folíolos. As suas flores, disposta em cacho, são vermelho-escuras e parecem de veludo. Estas dão origem a vagens que têm no seu interior sementes esféricas e negras.

É uma planta autóctone em Portugal Continental, podendo ser encontrada em prados, pastagens, pousios e campos de cultivo.

Cultivo: Deve ser cultivada em locais com exposição solar direta, mas pode tolerar a sombra parcial. Adapta-se a solos mais ácidos e arenosos. Não tolera encharcamentos. Multiplica-se através de sementes. A sementeira deve ocorrer durante o mês de outubro (após uma mobilização superficial do solo, a semente deve ser colocada a 3-6 cm de profundidade).
29-04-2014
02-05-2015
02-05-2015
Utilizações: A ervilhaca-vermelha sendo uma leguminosa ajuda a fixar azoto no solo. Como tal e devido ao seu rápido crescimento pode ser usada como adubação verde e em pastagens.
Podemos obter um corante verde-turquesa a partir das suas flores.
Atrai insetos polinizadores.

Curiosidades: O nome da espécie benghalensis refere-se à sua localização em Bengala.

quinta-feira, 30 de junho de 2016

Saxifraga stolonifera

16-04-2016

Nome científico: Saxifraga stolonifera 
Sinonímia: Saxifraga sarmentosa
Nome comum: Saxifraga, Barba-de-judeu
Família: Saxifragaceae
Origem: Ásia (China e Japão)

A saxifraga é uma planta herbácea rasteira com um ciclo de vida perene. As suas raízes propagam-se horizontalmente. Possui caules prostrados, finos, longos e avermelhados (onde se formam novas plantas). As suas folhas são arredondadas, um pouco ásperas e peludas, verde-escuras com manchas prateadas na página superior e avermelhadas na inferior. As suas inflorescências encontram-se dispostas em panículas compostas por várias flores brancas, pequenas mas graciosas.

12-06-2015
Propriedades e utilizações: Parece que possui propriedades medicinais, sendo considerada antibacteriana, depurativa e febrífuga. Há também algumas referências à utilização das suas folhas pelos japoneses em saladas.
Nos jardins, utiliza-se sobretudo em vasos suspensos, devido à forma com que cresce, podendo ser usada no exterior ou interior.
É também apreciada como cobertura do solo em pequenos canteiros e em locais com abundancia de água (junto a lagos, repuxos…).

28-04-2016
Cultivo: Deve ser plantada em lugares frescos e bem iluminado, mas sem luz solar direta. Apesar de tolerar a sombra, a sua floração será menor e as suas folhas serão de um verde mais escuro. O solo deve ser rico e ter boa drenagem. Aprecia regas regulares que devem ser realizadas quando o solo se encontrar ligeiramente seco para que possamos evitar sempre alagamentos. Devemos ter algum cuidado com as geadas, pois se forem fortes podem danificar a planta. Multiplica-se por divisão de touceiras ou através dos estolhos onde surgem as novas plantas que enraízam facilmente e que, na maior parte das vezes, permanecem pequenas até serem separadas da mãe e replantadas.

Curiosidades: Este género Saxifraga é muito extenso e na sua grande maioria é composto por plantas alpinas; Este deriva da combinação de duas palavras em latim "rocha" e "partir", provavelmente em referência à capacidade que estas plantas têm para viverem nas fendas das rochas e se conseguirem propagar através do seu sistema de raízes; O nome da espécie Stolonifera pode está relacionado com o termo estolhos; O nome comum barba-de-judeu poderá ter vindo do efeito visual que a planta causa quando é colocada em cestos de suspensão, ficando com os estolhos pendurados, parecendo-se com o cabelo ou barba; Em inglês esta planta é conhecida por “trawberry begonia” ou “strawberry geranium”.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...